A História de Chatwin

Bruce Chatwin tinha um caderno favorito, e foi ele quem  o chamou de “moleskine”. Em meados dos anos 1980, estes cadernos se tornaram cada vez mais escassos, e depois desapareceram completamente. Em seu livro The Songlines, Chatwin conta a história do caderninho preto: em 1986, o fabricante, uma empresa familiar pequena, na cidade francesa de Tours, fechou  o negócio. “Le vrai moleskine n’est plus”, foram as palavras que ele colocou na boca do dono como uma lápide de um túmulo na loja de artigos de papelaria na Rue de l’Ancienne Comédie, onde ele costumava comprar seus cadernos. Chatwin comprou todos os cadernos que ele pode encontrar antes de partir para a Austrália, mas ainda assim não foram suficiente.

Por: Maíra

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s