As princesas e o estereótipo do Felizes para Sempre moldam o comportamento feminino?

A escritora e psicóloga Chilena Pilar Sordo defende que nós aprendemos através dos contos de fadas, que os homens que nos dão a vida. Que a felicidade está atrelado ao outro, portanto estes homens são criados com a expectativa de serem príncipes. Para isso eles cumprem com muitos requisitos como: ter status, estabilidade emocional e econômica, serem gentis, bonitos e ainda ótimos pais.

Quando “o” príncipe entra em minha vida eu o reconheço de imediato, porque eu sinto que ele é o homem certo para mim. É pré-suposto que vou saber que aquele homem a quem eu mal conheço é o “homem da minha vida”.  Pois, nos contos de fadas, não existe o tempo para o conhecimento mútuo e as experiências para aprender a se descobrir, o que eu gosto ou não no outro, o aprendizado é instantâneo: eu vejo e sei que é ele. E estas mulheres são instigadas a abrir mão de tudo para este homem, pois está é a garantia que serão felizes para sempre.

A seguir a evolução das princesas dos conto de fadas e suas adaptações aos tempos:

Branca de Neve ( 1937 versão Disney)

A  princesa tem a pela branca como a neve, os lábios vermelhos como o sangue e os cabelos negros como o ébano e o coração puro. Sua madrasta tem inveja de sua beleza quando a princesa chega aos 16 anos a envenena com uma maça, que a coloca em um sono profundo. O feitiço só será quebrado pelo o primeiro beijo do verdadeiro amor. O príncipe Ferdinand, a beija e devolve a vida a Branca de Neve e eles vivem felizes para sempre. Baseado no conto dos irmãos Grimm.

Branca de Neve

Rainha Má: Espelho, espelho meu, existe alguém mais bela do que eu?

Espelho: Branca de Neve é a mais bela de todas

Cinderella (1950 versão Disney)

É considera uma das princesas mais velhas de todos os contos de fadas, com idade aproximada entre 19 ou 20 anos. Após a morte do seu pai, é transformada pela madrasta em servente da casa. Com a ajuda da fada-madrinha ela vai a um baile do reino para conhecer o Príncipe Encantado, que ao casar-se com ela liberta da sua vida de servidão e maus-tratos e eles vivem felizes para sempre. Baseado no conto “Cendrillon” de Charles Perrault.

Cinderella

Cinderela: É meia-noite.
Príncipe Encantado: Sim, assim é. Mas, por que …
Cinderella: Adeus.
Príncipe Encantado: Não, espere. Você não pode ir agora. É só …
Cinderella: Oh, eu preciso, por favor. Por favor, eu preciso!
Príncipe Encantado: Mas, por quê?
Cinderella: Bem, eu-eu, oh, o Príncipe. Eu não conheçi o príncipe.
Príncipe Encantado: O Príncipe? Mas, você não sabia que …

Aurora (1959)

Uma bruxa má prevê que aos 16 anos Aurora vai morrer. Uma das três fadas madrinhas muda a maldição para um sono profundo. O antídoto para a princesa acordar é o beijo do verdadeiro amor. O Príncipe Phillip acorda Aurora que se apaixona por ele imediatamente e se casam vivendo felizes para sempre. Baseado no conto  de Charles Perrault’s “La Belle au Bois Dormant”.

Bela  Adormecida

Bruxa Malévola: Oh venha agora Príncipe Phillip. Por que tão melancólico? Um futuro maravilhoso está diante de você – você, é o herói destinado de um conto de fadas encantador. Veja –  o castelo do Rei Stefan. E lá na torre mais alta, sonhando com seu verdadeiro amor, a princesa Aurora. Mas veja o capricho gracioso do destino – por que, a camponesa que ganhou o  coração de nosso nobre príncipe, ontem. Ela é de fato justa, mais maravilhosa.  Seus cabelos de cor de ouro com a luz do sol, seus lábios que envergonham o vermelho  de uma rosa vermelha. No sono eterno, ela encontra repouso. Os anos passam, mas cem anos para um coração firme, são apenas um dia. E agora, os portões da masmorra se abriram, e nosso príncipe é livre para seguir o seu caminho. Ele monta em seu nobre corcel, e sai em disparada, uma figura valente! Para despertar o seu amor com “o primeiro beijo de amor “! Para provar que  o “verdadeiro amor” conquista tudo! AHAHAHAHAHA!

Ariel (1989)

Uma sereia de 16 anos, típica adolescente rebelde ingênua e sonhadora quer trocar o mar pela terra, pelo amor do príncipe Eric. Ela troca sua voz para a bruxa Úrsula para poder viver com o seu amor para sempre. Baseado no conto Den Lille Havfrue“de Hans Christian Andersen.

Ariel

Miss Minchin: Não me diga que você ainda fantasia a si mesmo  como uma princesa? Filha, olhe ao seu redor! Ou melhor ainda, olhe no espelho.
Sara Crewe: Eu sou uma princesa. Todas as meninas são. Mesmo se elas vivem em pequenos sótãos antigos. Mesmo que elas se vistam com trapos, mesmo que elas não sejam bonitas, ou inteligente, ou jovem. Eles ainda são princesas. Todos nós somos. O seu pai nunca te disse isso? Será que não?

Jasmin (1992)

É uma princesa árabe e é indomável. Rejeita todos os pretendentes arranjados pelo pai e foge do palácio para ser livre e ver a vida fora dos portões reais. Se apaixona por Alladin, um ladrão do mercado de Agrabah e convence seu pai de que ele é seu melhor pretendente.  Baseado no conto das mil e umas noite, Alladim e sua lâmpada mágica.

Jasmine

Aladdin: Uau. O palácio parece incrível, hein?
Princesa Jasmine: [decepcionada] Oh, é maravilhoso.
Aladdin: Eu me pergunto o que seria viver lá, e tem servos e serviçais.
Princesa Jasmine: Oh, com certeza. As pessoas que lhe dizem para onde ir e como se vestir.
Aladdin: É melhor do que aqui. Você está sempre em busca de alimentos e esquivando-se dos guardas.
Princesa Jasmine: Você não é livre para fazer suas próprias escolhas.
Aladdin: Às vezes você se sente assim …
Princesa Jasmine: Você é apenas …
Aladdin, a princesa Jasmine: … preso.

Bela (1991)

É uma princesa intelectual, adora ler romances com pitadas de aventura. Troca sua liberdade pelo a do pai e vira prisioneira da Fera. Descobre que a beleza interior é o que importa ao se apaixonar pela Fera, que se transforma no príncipe Adam através do amor de Bela. Ela se muda para o castelo sem se casar e vivem felizes para sempre. Baseado no conto de fadas francês: “La Belle et la Bete” versão da Madame Jeanne-Marie le Prince de Beaumon.

Beuty and the Beast

Príncipe Adam: Bela … sou eu!
[Olha Bela em seus olhos por um minuto]
Bela: É você!

Tiana (2009)

É a primeira princesa afro-americana. O sonho dela não é casar, é abrir seu próprio restaurante através do seu trabalho duro. Ela conhece o  Príncipe Naveen em forma de sapo e ensina a ele o valor do trabalho e o equilíbrio entre carreira e  o amor. No final do filme eles montam um restaurante juntos. Parte inspirado na história de E.D Baker’s The Frog Princess.

Tiana

Príncipe Naveen: Você sabe, garçonete, eu finalmente descobri o que está errado com você.
Tiana: Agora você descobriu?
Príncipe Naveen: Você não sabe como se divertir. Há. Alguém tinha que dizer isso.
Tiana: Obrigado, porque eu descobri qual é seu problema também.
Príncipe Naveen: eu sou … maravilhoso demais?
Tiana: Não, você é um não-conte comigo, mulherengo e preguiçoso.
Príncipe Naveen: Ahaha …
[finge que tosse]

Mérida (2012)

É a primeira princesa da Pixar/Disney sem príncipe, tornando-a mais ousada de todas. Mérida se recusa a ficar noiva de outros príncipes. Ela quer traçar o seu destino, escolher ao invés de ser escolhida. É uma garota forte, cheia de opinião ela é uma menina com jeito de menino. Diz que não está pronta para casar e talvez nunca venha estar. Não quer ser sufocada pelos desejos e sonhos de sua mãe para a sua vida. Ela quer ser dona do seu próprio nariz.

Merida

Princesa Mérida: Vai  Chegar um dia em que eu não tenha que ser uma princesa. Sem regras, sem expectativas. Um dia aonde tudo pode acontecer. Um dia em que eu possa mudar o meu destino.

Desde a mais terna infância, nosso comportamento feminino é marcado pela cena aonde a branca de neve e a bela adormecida estão em coma, em um estado de infelicidade. Um príncipe a qual elas não conhecem, lhes dá um beijo. E esse beijo as desperta para a vida. E é aquele príncipe, que elas não conhecem que é o responsável pela felicidade delas, e ele que vai afastar de suas vidas a raiva, a inveja que outras mulheres teriam provocado e trazendo a felicidade eterna a essas princesas.

As princesas tem evoluído junto com a sociedade e o papel da mulher. Mas será que a princesa Mérida  veio nos libertar de uma vez por todas  do esteriótipo da princesa a espera do seu príncipe encantado para serem felizes para sempre?

Por: Maíra

Trechos do livro: viva la diferencia de Pilar Sordo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s