Um Visionário da moda dos anos 60: André Courrèges

Encontramos uma reliquia aqui na Freebook! Algumas cópias da edição numerada e limitada, versão francesa do livro Courrèges, por Erik Orsenna. Corre boatos que este mesmo livro de segunda-mão esteja valendo US$ 1500,00 no ebay.

Courreges

Capa do Livro Courrèges feita de alumínio.

Courreges

Courrèges

Costura do Futuro

“Mudança de vida – A libertação das mulheres é uma causa nobre o suficiente, mas precisa ir além. Nós precisamos estender para o resto do planeta, incluindo o sexo masculino e no mundo de objetos grandes e pequenos, os benefícios da simplicidade, clareza e execução perfeita. Todas as pessoas criativas são megalomaníacas. Quando um espírito megalomaníaco criativo é também um engenheiro, meticulosidade é adicionado à equação. Em seguida, suas idéias podem ser estendidas indefinidamente. Nenhum domínio ou setor é poupado. Não é surpreendente que o estilista voltou para os sonhos de sua juventude e começou a construir edifícios. Mas quando ele começou a se concentrar em novas tecnologias e do design de um carro totalmente revolucionário, ele encontrou algo a mais. Qual será a fonte de sua energia ilimitada, esta energia que ameaçava consumi-lo se ele não encontrar nenhuma saída? Essa energia deve vir de uma convicção muito forte – poderíamos até chamá-la de uma missão. Ele deve estar convencido de que Courrèges é um bem útil para a raça humana. Que ele pode fazer uma contribuição real para o Progresso. E por que não?” Erik Orsenna

Courreges

Lunettes Eskimo pour Courreges

Branco

“O ideograma chinês para o sol é um quadrado, um pouco vago, cantos arredondados e um ponto no centro. O símbolo também significa “branco”, já que na China, o sol é considerado branco, não amarelo. Aqui, o ideograma para “algodão” é criado pela combinação de três símbolos: um arbusto, um ônibus e o famoso sol branco. Em 1965, a coleção Courrèges foi exibido inteiramente em branco: em uma caixa com piso branco, paredes brancas, teto branco. “Como Le Corbusier, que trouxe a luz para as casas”, disse Courrèges, “Eu quero trazer a luz para o design de roupas.”

Não devemos esquecer que André foi aspirante a arquiteto, e que ele é do sul. Fui algumas veze a Pau, a bela cidade onde André Courrèges nasceu. É uma parte muito especial do sul da França, um lugar onde há dois tipos distintos de luz: a luz do céu e a luz refletida a partir dos Pirinéus, a montanha imaculada que domina o horizonte.

Branco? A cor branca é a junção de todas as cores do espectro de cores. É a cor que reflete todos os raios luminosos, não absorvendo nenhum e por isso aparecendo como clareza máxima.”- assim nos é dito pelo dicionário da Académie Française. Então, quando você vê o branco na verdade você está vendo todas as cores.

Mas há mais para branco do que isso.
O branco é a página em branco, a emoção confusa de começos criativos. E também a idéia de uma segunda chance: de limpar a lousa e começar de novo. Branco é um raio de sol passando através de uma janela aberta (na palavra “radiante”, há “raio”).
Não é o branco da saúde: enfermeiros vestem de branco; Doutor Courrèges está cuidando de você.
Não é o branco de “branco quente:” uma explosão de energia.
Não é olhar para “os brancos de seus olhos:” face a face.
Não há confronto e cavalheirismo em nosso relacionamento com a cor branca: tudo é duramente visíveis contra um fundo branco, não há nada a esconder, você está diretamente na linha de fogo.” – Erik Orsenna

Courrges

Segunda Pele

Courreges

Parceria para a Vida Courreges e Coqueline

Duas pessoas

Ele foi criado em Pau.
Ela em Hendaye.
Aos vinte anos de idade, ele estava tentando decidir se ele devia ser um arquiteto ou um construtor de pontes.
Em 27, ele estava andando na Avenue Montaigne. Era um belo dia – e ele havia tomado sua decisão. Ele seria um costureiro. Ele foi trabalhar para a Balenciaga.
Ela tinha 16. Ela não hesitou por um momento: ela foi direto para a Balenciaga. Foi Monsieur Balenciaga, que ensinou, mais do que ninguém: Que estilo “ Era a combinação de técnica, estética e acabamento em um resultado único e harmonioso”.
Seu nome era Coqueline.
Seu, André.
Tornaram-se inseparáveis.
E eles continuam inseparáveis.
Todos os aspectos do seu trabalho tem sido um empreendimento compartilhado.
Marie é sua filha. -Erik Orsenna

Courreges

Material explorada por Courrèges: PVC

Fonte: Textos tirados do livro – Courrèges – Tradução livre
Por: Maíra

Anúncios

2 Respostas para “Um Visionário da moda dos anos 60: André Courrèges

  1. Lindo !!! Obrigada pela oportunidade de ler alguns trechos desse raro livro .

  2. Por nada! Quando quiser visitar a livraria pode folhear pessoalmente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s